Xbox Series X – O monstro já está entre nós!

Novembro chegou e mesmo em um ano que nunca será esquecido está batendo a nossa porta trazendo o lançamento do Xbox Series X e do início da 9ª geração dos consoles.

Lembro de estarmos acompanhando e transmitindo a conferência da Microsoft, com vários anúncios muito legais além de uma presença extremamente ilustre (oi Keanu!), mas mesmo com tudo isso ficava aquela sensação de que algo estava faltando… então, eis que o queridíssimo Phil Spencer sobe ao palco do Microsoft Theater e nos apresenta o Project Scarlett, novo console que estava sendo desenvolvido pelo time da casa de Redmond e Phil finaliza a apresentação prometendo que o Scarlett chegaria no próximo ano.

O console teve o seu lançamento programado para o final do próximo ano (2020), e sua revelação plena foi feita na transmissão do TGA (The VideoGame Awards) do ano passado, lá nós tivemos a chance de conhecer como o console seria além sermos apresentados ao seu nome final. Enfim conhecíamos o Xbox Series X, o console mais poderoso já criado!

Xbox Series X
E ai fomos apresentados a essa belezinha! =)

Nossa análise não tem a intenção de ser a melhor a respeito do console, mas sim, dar a visão do time da Central Xbox sobre o novo console, o que ele nos oferece e o que vocês poderão esperar. Afinal, mesmo a gente estando do lado de cá somos gamers, como todos vocês!

Começando pelo início

Desde o princípio a Microsoft posicionou o Xbox Series X como um console premium e o que podemos dizer sua embalagem? Com uma impressão e corte de faca precisos, ela envolve e protege o console e seus acessórios. O console vem protegido por um isopor cortado de forma cirúrgica, que protege o console em seu transporte, além de um papel que o evolve e uma cinta com os dizeres “Power Your Dreams”, que faz com que a ansiedade em tira-lo de lá só aumente!

Logo atrás desse isopor temos uma segunda caixa, mais estreita, que guarda os outros itens que acompanham o console. Lá temos, um cabo HDMI 2.1, um cabo de energia (que já vem com o padrão brasileiro), o novo controle e assim como nas versões anteriores, um par de pilhas pra você já sair estourando algumas cabeças em algum Gears of War.

O ponto alto fica por conta da integração entre o console e o app Xbox, é extremamente prazeroso ver com é fácil fazer toda a configuração inicial do console apenas inserindo um código nele. Se você já possuir um console anterior ele vai conseguir resgatar todas as suas configurações e aplica-las em seu novo Xbox Series X!

Tá bom Central, mas e aí, é um monstro mesmo?

A especulação estava desenfreada desde as primeiras informações sobre as especificações técnicas do Xbox Series X, a Microsoft foi soltando essas infos aos poucos e a cada dia que chegávamos mais próximos do lançamento percebíamos que sim, o console era realmente muito forte e vinha para redefinir os padrões dos consoles de mesa que nós conhecíamos.
Aos poucos eles foram nos mostrando que um hardware atualizado, junto com um software desenvolvido de forma exclusiva poderia realmente nos levar a um próximo patamar. Nós sabemos que essas especificações são importantes, mas também sabemos que todos vocês já devem ter cansado de visualizar os dados de processamento, armazenamento e etc, mas estamos aqui para informar, então vamos lá. Essas são as principais especificações técnicas do console:
Xbox Series X
CPU
Zen 2 customizada de8 núcleos @ 3.8 GHz (3.6 GHz com multithread)
GPU
RDNA 2 customizada de 12 TFLOPS, 52 unidades computacionais @ 1.825 GHz
SOC Die Size
360.45 m.m.
Process
7nm Enhanced
MemóriaRAM
16 GB GDDR6
Largura de Banda
10 GB a 560 GB/s
6 GB a 336 GB/s
Armazenamento Interno
1TB SSD NVMe
Taxa de Transferência
2.4 GB/s e 4.8 GB/s RAW
Drive Óptico
4K UHD Blu-Ray Drive
Recursos
Baixa latência, com taxa de atualização variável.
Peso
15,1cmx 15,1cmx 30,1cm

Sabemos que muito do que está descrito na tabela acima não é de fácil leitura, mas a gente está aqui para, junto com vocês entender o que está caixa retangular é capaz de fazer.

O Xbox Series X chega com uma GPU AMD customizada, que possui um poder de processamento de até 12 Teraflops, com 52 unidades computacionais rodando a 1.825 MHz. Sua CPU é um AMD Zen 2, rodando entre 3,6 e 3,8 GHz. E o que todos esses números querem dizer pessoal? Isso quer dizer pequenos gafanhotos, que o Series X nos leva a um “outro patamar” quando comparamos aos seus antecessores.

Tivemos uma grande evolução também no quesito memória. Elas que foram um dos maiores entraves no Xbox One original, chegam muito mais otimizadas e atualizadas. Com 16GB DDR6 o Xbox Series X conta com espaço de sobra para os jogos, além de fazer com que todo o sistema rode de forma mais fluída, sem aqueles engasgos que só quem tem ou teve um One sabem que acontecem, principalmente quando rodamos o aplicativo da loja.

Mas a cereja do bolo, na humilde opinião deste que vos escreve fica por conta da atualização do formato de armazenamento do console. Deixamos de lado os já obsoletos discos mecânicos para passarmos a utilizar SSDs de alta performance. Ele com um 1TB NVMe, entregando incríveis taxas de 2,4GB/s de transferência e podendo chegar a até 4,8GB/s quando trafega dados comprimidos.

O que vemos como um problema futuro fica por conta da escolha inicial de “somente” um 1TB de espaço interno. Em testes iniciais foi evidenciado que o usuário final possuirá somente algo em torno de 800GB de espaço livre em disco para instalar seus jogos, gravações, prints e etc.

E vocês assim como nós sabemos que os jogos atuais estão cada vez maiores e consumindo mais espaço e por isso a Microsoft está trazendo junto com o lançamento do console uma iniciativa proprietária de cartões de memória que poderão expandir o espaço e ainda sim garantirem a qualidade da velocidade.

Mas infelizmente essa tecnologia toda cobra o preço da novidade e o acessório, que também chega no próximo dia 10 tem preço sugerido de R$ 2.299,00. Não sei vocês, mas o tio aqui acha esse preço um tanto quanto salgado!

Xbox Series X

Vale lembrar que vocês poderão continuar utilizando os seus HDs externos para salvarem seus jogos, mas a Microsoft já deixou claro que os jogos da próxima geração precisarão rodar no disco interno ou no cartão de memória para usufruirem da Xbox Velocity Architecture.

Mas e aí, queremos saber sobre o bichão!

Em todos os vídeos e imagens pré lançamento nós imaginávamos que o console, mesmo tenho um desenho mais vertical seria grande, mas é uma impressão que passa logos após a caixa ser aberta e você pega-lo em suas mãos.

Como disse anteriormente, sua posição original é em pé, mas a Microsoft nos deu a possibilidade de deixa-lo na horizontal, mas vamos lá, ele é muito mais bonito em sua posição original, vocês não acham?

Xbox Series X

Conforme falamos acima, o Xbox Series X possui 30cm de altura e em seu topo temos a fan que faz a dissipação do calor gerado, e apesar de algumas matérias tendenciosas a respeito do cerrado pelo console já ficou evidenciado que ele consegue, mesmo em período de pico, operar com temperaturas extremamente aceitáveis para o tipo de hardware que ele carrega.

O console em si é extremamente silencioso, diferente do Xbox One, que em alguns momentos de pico parece que vai alçar vôo aqui na redação.

Xbox Series X
Fluxo de ar contínuo se beneficia do fato do ar frio ser mais pesado.

Minha voz continua a mesma, mas os meus cabelos!

Apesar de toda a excitação inicial, a experiência de uso do Xbox Series X é extremamente similar à que temos no Xbox One. A ideia que fica é a de que a Microsoft realmente quer trabalhar em único ecossistema e isso passa por gerar uma única interface que se adapta aos diversos devices que trazem a marca Xbox

A verdade é que já vinham acontecendo algumas atualizações na dashboard, E hoje fica mais do que claro que estas atualizações estavam pavimentando e criando uma estruturação necessária para uma melhor experiência de uso para os consoles da nova geração.

Além de toda essa evolução da experiência de uso por conta de um hardware mais forte e mais otimizado a grande novidade que o Xbox Series X traz para os usuários é uma funcionalidade chamada Quick Resume, que nada mais é do que “pausar” o seu jogo e deixa-lo hibernando até que você volte a joga-lo novamente.

Na verdade o que acontece é que toda essa arquitetura se beneficia da velocidade do SSD e quando saímos do jogo de volta para a das e decidimos entrar em um novo jogo o anterior deixa de ser armazenado na memória RAM e passa a ser alocado em cache em um espaço separado no SSD esperando até que ele possa voltar a ser utilizado pelo usuário. Dados vindos da Microsoft dão conta de que até 12 jogos poderão usufruir desta funcionalidade simultaneamente.

Bom, beleza… vocês falaram do console, mas e controle meo?

Se você chegou até aqui deve concordar com a gente que desde o Xbox 360 nós temos um controle que vem evoluindo e melhorando cada vez mais. E dessa vez não foi diferente, o que era bom pode e melhorou sim!

Não parece, mas o novo controle que acompanha o console é um pouco menor do que os atuais controles disponíveis para o Xbox One, com um d-pad que se assemelha muito ao que temos no controle Elite. Além disso ele apresenta uma nova textura, que aumenta a sensação e grip, tanto na base quanto nos gatilhos. Outra novidade fica por conta da introdução do USC-C como conexão padrão e também da inclusão de um botão de compartilhamento, que fica ao centro.

Ainda não foi dessa vez que vimos a Microsoft abandonar o uso das pilhas, mas pode ficar tranquilo, se você possui o kit Play & Charge do One vai poder continuar usando nos novos controles! Por último, caso você tenha mais controles, pode ficar sossegado, eles irão funcionar em seu novo Xbox Series X|S.

Estes são os novos controles e a nova cor, Shock Blue!

Tá, mas e qual é a nossa opinião?

Bom, a nossa opinião sobre não só o Xbox Series X, mas também sobre o Xbox Series S é de que eles chegam para redefinir o mercado, se posicionando em ambas as pontas, atingindo o uma ampla base, sendo democrático em relação as escolhas dos clientes.

Não podemos deixar de salientar que estamos falando de um ecossistema parrudo, que dá a oportunidade de você transitar por quatro gerações de consoles Xbox, o que gera um ótimo custo benefício para a comunidade.

A criação do sistema Smart Delivery dá o poder um poder de escolha ao usuário nunca antes visto, trazendo a oportunidade desse cliente ter a melhor experiência dentro da realidade a qual ele está inserido. A chance de você poder comprar um jogo cross gen, começar a joga-lo em seu Xbox One e quando adquirir um Xbox Series X|S você pode voltar a joga-lo de onde parou, sem gastar um centavo a mais é uma tacada certeira da Microsoft.

A verdade é que, depois de um percurso cheio de altos e baixos na vida do nosso querido Xbox One (Don Mattrick, a gente te odeia!) a Microsoft cumpre com todo o louvor aquilo que os fãs da marca sempre quiseram, um console de ponta, que com certeza irá entregar a melhor experiência e imersão em jogos!

Muito Obrigado!

Em nome da turma da Central Xbox quero agradecer por termos conseguido chegar até aqui e ter a chance de acompanhar o nascimento de mais uma geração da família Xbox! Isso é muito importante pra nós e para o nosso trabalho e serve de motivação diária para continuarmos levando o melhor conteúdo sobre Xbox na América Latina!

Continuem ligados em nossos canais pois semana que vem teremos mais novidades, mais vídeos e uma cobertura extremamente completa do lançamento do Xbox Series X|S!

Se depois de ler essa nossa análise você se interessou em uma das versões clique no link abaixo para adquiri-los em pré venda.

Você pode nos seguir no YouTube, Twitter, Instagram ou Facebook para ficar por dentro das novidades mais recentes da família Xbox. Se quiser, pode ver outras análises feitas pelo nosso time clicando aqui.