A clássica franquia está de volta Microsoft Flight Simulator

Em 2019 enquanto estava assistindo a E3 deitado em minha cama eu tive uma grata surpresa, não, não o Keanu Reeves, e sim o Microsoft Flight Simulator! Sério, naquela hora eu quase chorei, e cá estou escrevendo sua análise.

Eu antes do anúncio (e do lançamento) passava horas e mais horas simulando no Microsoft Flight Simulator X e já achava que a franquia havia sido abandonada pela gigante de Redmond, já que o FSX (popularmente conhecido) havia sido lançado em 2006, com um spin-off arcade sendo lançado em 2012, o Microsoft Flight, ou apenas Flight, tanto faz.

Microsoft Flight Simulator

Mas ninguém quer saber da minha vida, correto? Então bora colocar o seu cinto de segurança e bora para mais uma aná… pera aí! Gostaria de enfatizar que eu não sou um grandioso conhecedor de aviação, e sim um entusiasta que sabe (algumas partes, a maioria pelo menos) como funciona e que gosta de simular! Então, bora começar mais essa análise!

Do que se trata esse “jogo”? Microsoft Flight Simulator

Em Microsoft Flight Simulator você deverá voar pelo mundo inteiro. Quer dizer, você não é obrigado a voar pelo mundo inteiro, mas se quiser, vai em frente (acho que eu vou fazer isso qualquer dia desses). Devemos enfatizar que o Microsoft Flight Simulator não é um jogo, e sim um simulador, mas nada te impede de chamar ele de jogo, só estou mostrando a “nomenclatura” correta.

No Microsoft Flight Simulator cada voo dura o mesmo tempo que na vida real, ou seja, se você fizer um voo de uma hora na vida real ele também irá ser um voo de uma hora no novo simulador, ou seja, o mapa do planeta Terra é representado em tamanho real. Mas não, você não precisa baixar o planeta inteiro, caso precisasse você precisaria baixar 2 petabytes de dados.

Microsoft Flight Simulator é uma ótimo simulador (ou jogo!) e é um ótimo concorrente para os simuladores que já estão no mercado, como o X-Plane 11. Sim, eu já usei o X-Plane 11 e eu percebi a imensa diferença entre os dois simuladores, tanto na parte gráfica como na jogabilidade e recursos.

A parte técnica do “jogo”

Microsoft Flight Simulator é um espetáculo em todos os aspectos: gráficos, jogabilidade, multiplayer, recursos… enfim, ele é incrível, porém como nem tudo são flores, ele é muito, mais muito pesado, e meu PC apresentou muitos problemas para conseguir roda-lo, então minha experiência foi um pouco triste.

Na parte de recursos o novo simulador é bastante interessante. O simulador conta com várias aeronaves, como a lendária Queen of the Skies (o B747) e outros mais recentes, como o A320Neo. Além de vários aviões, o novo simulador conta com um sistema de clima em tempo real, ou seja, se na sua cidade estiver chovendo no simulador também estará chovendo!

Microsoft Flight Simulator

Ainda falando de recursos, o novo simulador contém praticamente todos os sistemas de um avião de verdade, como o Piloto Automático, Sistema de checklist, Sistema de aproximação por ILS, Sistema de voo IFR ou VFR, Sistema de copiloto (que é uma ótima adição), Partida de uma aeronave (ou seja, ligar ela) e muito, mais muito sistema de controle de avião e de tráfego aéreo.

Microsoft Flight Simulator

Na parte gráfica o jogo é um espetáculo divino. Sua iluminação é perfeita e você pode até sentir o calor do Sol (ou será que era minha placa de vídeo pegando fogo?!), e além da iluminação, suas sombras e reflexos são muito bem detalhados, e que facilmente pode confundir um leigo.

Na parte de física, como em todo simulador, ela está bem trabalhada. Você sente o vento empurrando o seu avião, você sente a “dureza” de um avião wide-body (fuselagem larga), você percebe que não consegue pousar/decolar de uma pista de pouso pequena com um B747-8i… enfim, essa parte é F E N O M E N A L.

A parte de design de mundo é uma das cerejas do bolo! Você tem o mapa do mundo renderizado em nuvem e rastreado por satélite, ou seja, você pode encontrar a sua cidade (menos a sua casa que provavelmente será uma construção simples)! E isso permite que o simulador seja extremamente imersivo, já que o mapa do mundo inteiro está disponível para você voar!

Ainda falando sobre o design de mundo, o novo simulador conta com a tecnologia “Blackshark.ai“, uma inteligência artificial que detecta as construções da foto de satélite e forma uma construção em cima dela (foto). Mas não, as construções não são perfeitas e elas podem ser completamente “nada haver”. Mas cai entre nós, seria muito difícil fazer cada cidade a mão, correto?

Microsoft Flight Simulator

Continuando na parte de design de mundo, você poderá encontrar cidades e aeroportos feitos a mão, ou seja, são mais detalhados. Aqui no Brasil você encontrará somente Rio de Janeiro como essa cidade, além de seu aeroporto principal, o Rio Galeão. Ou seja, no RJ você poderá ver o Cristo Redentor, os estádios, o pão de açúcar da forma que ele é na vida real, permitindo uma grande imersão para os cariocas.

O som do jogo é espetacular, os sons dos motores são extremamente reais, o que permite uma ótima imersão. Além disso o jogo também possui algumas músicas que aparecem no menu inicial, na configuração de rota e no alerta de acidente (e não, você não vê o avião explodindo, a tela simplesmente se apaga e aparece uma mensagem).

Sua jogabilidade é excelente, os controles são fáceis, mas não recomendamos jogar com o teclado e mouse, tente usar um controle do seu Xbox One ou um joystick, assim como eu. Uma coisa que eu senti falta foi dos atalhos do Microsoft Flight Simulator X, como o do painel do piloto automático ou o do rádio.

Microsoft Flight Simulator

Você é um leigo na aviação? Não se preocupe! O novo Microsoft Flight Simulator contém inúmeros tutorias para você aprender a tirar o avião do chão e pousa-lo em segurança. E isso é ótimo, já que o seu irmão mais velho, o Microsoft Flight Simulator X não tinha isso. Além do mais, isso permite que “leigos” na aviação consigam simular sem nenhum problema no novo “jogo”.

O novo simulador contém um loja in-game que permite que criadores vendam aviões personalizados (como um B777) por uma certa quantia de dinheiro. Claro, você também poderá baixar gratuitamente em sites paralelos ou na própria loja do simulador. Ele seguiu a tendência que vemos no Minecraft, onde um jogador pode colocar a sua criação a venda e receber um certo lucro.

Porém, como nem tudo são flores, o “jogo” tem uma péssima otimização. Meu PC possui o seguinte hardware: i7-3770, GTX 1660, 16GB de RAM DDR3, SSD de 240GB e um HD de 1TB que não foram o suficiente para rodar ele em 60FPS, ele rodava no máximo aos 30FPS. Vale ressaltar que eu rodo outros jogos no ultra em 60FPS cravados, ou seja, o novo simulador não foi muito bem otimizado.

Minha conclusão final e veredito Microsoft Flight Simulator

Microsoft Flight Simulator é a volta triunfante da clássica franquia da Microsoft, e acertou em todos os aspectos: física, jogabilidade, design de mundo, gráficos, multiplayer… enfim! Você poderá passar horas e mais horas voando do ponto “A” para o ponto “B” por muitos dias. Seu sistema de loja é genial e permite que a comunidade se conecte ainda mais com várias criações.

Porém, como nem tudo são flores, o jogo peca na sua fraca otimização, o que pode arruinar a experiência de um jogador com um hardware mais fraco. Fora isso, o jogo é excelente e não possui nenhum bug.

Pontos positivos
  • Ótimos recursos;
  • Ótima jogabilidade;
  • Ótimos gráficos;
  • Ótima física;
  • Ótimo som;
  • Ótimo modo online;
  • Ótimos aviões (mais podia ter mais!).
Ponto negativo
  • Péssima otimização.

Vale a pena comprar? Sim! Microsoft Flight Simulator está disponível na Microsoft Store por R$249,95 ou pelo Xbox Game Pass Ultimate ou para PC. Vale enfatizar que ele está disponível somente para o computador!

Você pode nos seguir no YouTube, Twitter, Instagram ou Facebook para ficar por dentro das novidades mais recentes da família Xbox. Se quiser, pode ver outras análises feitas pelo nosso time clicando aqui.