Pega essa Análise: Rogue Company

0
572

Quer saber o que achamos da “Companhia dos desonestos”? Rogue Company

Rogue Company se trata de um jogo de tiro em terceira pessoa desenvolvido pela First Watch Games e publicado pela Hi-Rez Studios, conhecida principalmente pelas publicações de Paladins e Smite, dois ótimos jogos competitivos.

O jogo não tem dia e mês específicos para o lançamento, mas está programado para lançar ainda em 2020 e atualmente está em Closed-beta, sendo que para conseguir acesso ao jogo é necessário obter a chave de acesso ou comprar um dos pacotes dos fundadores.

Rogue Company

O jogo conta com 13 personagens, sendo que inicialmente apenas seis estão disponíveis e o restante pode ser adquirido com pontos de “reputação” (dinheiro obtido in-game) ou “grana mercenária” (dinheiro obtido por meio de compras). Dentre esses há diferenças em relação ao gameplay, o que é de se esperar em um jogo competitivo.

O jogo em si consiste em conquistar ou defender um determinado território em dois minutos e para isso, o seu time assim como o rival possuem quatro vagas disponíveis para jogadores. Ainda nesse assunto, o jogo conta com um tutorial auxiliando no conhecimento das mecânicas e dois principais diferentes modos, sendo esses a investida e demolição, esse último apresentando também a disponibilidade de um treinamento utilizando bots.

São seis diferentes cenários para o primeiro modo e sete para o segundo, com repetições entre os modos. O jogo ainda conta com frequentes contratos, que são objetivos determinados pelo jogo aleatoriamente, e que quando cumpridos geram pontos de reputação. Resumidamente esses são os principais pontos do jogo, agora vamos aprofundar um pouco sobre alguns assuntos.

Rogue Company

Iniciando pelo que chama a atenção, os gráficos, a utilização da Unreal Engine se tornou muito popular nos últimos anos e isso é ótimo, visto que essa apresenta uma facilidade a mais pros desenvolvedores e gráficos excepcionais para nós jogadores. No caso desse jogo, utilizam a Unreal Engine 4 e ela é ótima para os atuais padrões de gráficos, ou seja, graças a isso temos belos visuais de personagens e cenários nesse jogo.

Porém, como estamos falando de um jogo em desenvolvimento, algumas questões ainda precisam ser melhor trabalhadas, como frequentes delays na renderização de armas e partes do cenário, assim como diversos pop-ins, isso é, objetos surgindo no meio do cenário sem mais nem menos. Também é frequente a ausência de física em alguns objetos, permitindo você literalmente “entrar no cenário”. Relacionado a isso o dano no cenário não está presente na maioria do mapa e nas poucas partes em que está, consiste em uma “poeirinha feia”. Claro, são fatores que não alteram tanto a gameplay e que só incomodam quem é chato, igual a mim.

Legal, mas e quanto a jogabilidade e as mecânicas? Só de observar algumas imagens, qualquer pessoa poderia citar facilmente as referências as quais esse jogo se baseou. O jogo traz um jeitão de Gears of War e/ou Fortnite mas não se deixe enganar, definitivamente não é mais do mesmo!

O controle do jogo é muito preciso, assim como o sistema de mira e a movimentação dos personagens são super bem trabalhados. Quanto aos controles, só tenho uma reclamação sobre a alteração de armas principais para secundárias e armas corpo-a-corpo. A mudança nessas se dá pressionando Y, mas tive grandes problemas para alterná-las, é preciso segurar um tempo para efetuar a ação e isso me incomodou um pouco nas horas de combate.

Rogue Company

Ainda sobre o jogo, por mais que pareça ser um jogo rápido e de ação, eu o julguei muito mais estratégico. É um jogo rápido, mas não é frenético como temos diversos disponíveis no mercado, ou seja, não adianta correr para o meio do fogo-cruzado e tentar matar geral, pois você com certeza vai morrer ou pelo menos cair, necessitando ser levantado por um parceiro de equipe.

Rogue Company

Isso se dá devido ao grande dano da maioria das armas e a pouca vitalidade dos personagens, por exemplo, há armas que possuem dano de 30 (em média) e a vitalidade do seu personagem começa em 100 (sem melhorias), ou seja, com 4 tiros você vai cair e a vitalidade dos personagens enquanto caídos reduz muito rápido. Sendo assim, é necessário pensar bem como atingir o seu inimigo sem levar danos do mesmo.

Quanto aos modos de jogos, inicialmente é realizado um tutorial introduzindo as principais mecânicas do jogo, não sendo obrigatório, mas caso opte por fazer há uma conquista pra isso. E quanto aos modos principais, são divididos em duas categorias:

  1. Demolição: Descrito como o principal modo competitivo do jogo. Cada jogador só tem direito de morrer uma vez por rodada e o renascimento só ocorre no final da mesma. O time atacante deve plantar uma bomba e defendê-la até a explosão da mesma, enquanto o time de defesa deve desarmá-la ou impedir que o time rival a plante. Aniquilar todos os personagens do time rival também traz a vitória e o dinheiro inicial para compra de equipamentos e melhorias é reduzido em comparação ao outro modo.
  2. Investida: Descrito como modo casual do jogo. Cada time possui 15 tickets de renascimento, ou seja, os quatro personagens podem renascer em uma mesma rodada um determinado número de vezes até atingir 15 vezes, sendo igualmente dividido entre os membros do mesmo time. Diferente do modo demolição, ambos os times devem conquistar ou defender uma área sem a obrigação de plantar ou desarmar bombas.

O jogo apresenta mecânicas muito boas e bem equilibradas, possibilitando grande potencial competitivo. Durante as jogatinas é frequente a utilização dos rolamentos para desviar do fogo inimigo, assim como é necessário sair do local ao qual você está escondido para atirar nos inimigos, ou seja, não é possível atirar no inimigo sem se expor, abrindo assim, espaço para estratégia. É possível também trocar o ombro em que a arma está apoiada, ampliando o campo de visão do cenário.

Além disso, o dano das armas e a velocidade para carregá-las geralmente são balanceados. Armas com grande poder de fogo demoram muito mais para serem carregadas do que as mais fracas. Ainda em relação ao grande poder de algumas armas, as armas corpo-a-corpo apresentam um dano absurdo quando lançadas no inimigo, um acerto leva o oponente diretamente ao chão, porém, é realmente difícil acertá-los com esse golpe.

Os personagens ainda apresentam diferentes gadgets, como se fossem habilidades especiais individuais, como explosivos e drones que levantam parceiros caídos. Claro que essas habilidades possuem um grande cooldown (tempo de recarga) para equilibrar o jogo. Além disso, antes do início da rodada há diversas opções de armamentos (diferentes para os distintos personagens), melhorias desses armamentos e do personagem em si, como aumento da vitalidade e carregar enquanto corre. O interessante é que isso pode variar muito de personagem e até de partida. Comprar a melhoria ou a arma adequada pode ser determinante pro jogo. No geral o jogo é relativamente fácil de se jogar, mas evidentemente difícil de se especializar.

E em relação aos problemas? O que podemos falar sobre? Rogue Company

Como abordado anteriormente, o jogo ainda está em fase beta, então grande parte dos problemas podem ser resolvidos com patches futuros e manutenções. As partidas consistem em dois times de quatro jogadores, cada qual com um personagem diferente, evidentemente não podendo haver repetição do mesmo personagem no mesmo time. Nesse quesito de divisão de times, temos um grande problema: a falta no equilíbrio das partidas. Nem sempre há a disponibilidade de oito jogadores, mas sim seis, por exemplo.

E nesse caso, ao invés do jogo equilibrar os times dividindo três para cada lado, inúmeras vezes joguei com apenas mais um parceiro de time contra quatro inimigos, deixando o jogo totalmente impossível. Ainda nisso, o jogo atualmente retirou a opção de sair de uma partida, impedindo-o de sair e mesmo que alguém saia, no momento em que retornar, irá direto para a partida a qual deixou. Entretanto, isso não muda o fato de que se alguém resolver sair, os times ficaram desequilibrados.

Rogue Company

Uma outra questão que me incomodou um pouco foi a ausência de um lobby pré-jogo com a visualização da fase a ser jogada, em outros jogos é possível “pré-visualizar” o estágio que irá ser jogado antes de entrar na sala, nesse caso não. Se você não gosta de uma determinada fase e/ou não quer jogá-la, vai ter que entrar no jogo e desertar (futuramente sendo penalizado por isso).

Também tive problemas em relação a música do jogo, em alguns momentos ela simplesmente sumiu, assim como todo o som do jogo e tive que reiniciar para as coisas voltarem ao normal. Tudo bem, não é um problema pra maioria das pessoas, mas é uma questão a ser discutida.

Rogue Company já está disponível na Microsoft Store, com diferentes pacotes de fundadores, contendo o acesso ao jogo em fase beta, desbloqueio dos personagens e skins com valores de R$39,99 o mais básico, R$79,99 o intermediário e a Edição Suprema por R$149,99. Caso tenha obtido a chave de acesso e tenha interesse em comprar os personagens utilizando grana mercenária, os valores são de R$24,99 para 1000 moedas, R$59,99 para 2800, R$99,99 para 5000 e R$249,99 para 13500.

Você pode nos seguir no YouTube, Twitter, Instagram ou Facebook para ficar por dentro das novidades mais recentes da família Xbox. Se quiser, pode ver outras análises feitas pelo nosso time clicando aqui.
REVER GERAL
Nota do Autor
7
Doutorando em Fisiologia Vegetal na maior parte do tempo e jogador nos intervalos entre uma pesquisa e outra. Me apaixonei pela marca desde a primeira vez que vi Ninja Gaiden, Fable e principalmente Halo 2 rodando no XBOX clássico.