Pega essa Análise! Deliver Us The Moon

0
287

Que jogos, meus amigos!

Deliver Us The Moon é um jogo desenvolvido pelo estúdio KeokeN Interactive, e conta a história de um astronauta que é mandado para a Lua em uma missão “suicida” para reestabelecer a produção de energia que é enviada para a Terra após os antigos tripulantes sabotarem e fugirem.

Deliver Us The Moon é um jogo que me surpreendeu em diversos aspectos, e não vou negar, estava muito no hype para poder joga-lo no Xbox, já que eu havia jogado um trecho dele no PC. A Central Xbox jogou e avaliou esse jogo, e o review completo você confere abaixo, bora lá!

Vá para a Lua e salve a Terra “destruída”

Então, o jogo se passa em 2053, e com uma crise energética os humanos constroem uma base lunar para minerar e produzir energia através do Hélio-3, uma forma isotópica não-radioativa que realmente existe na Lua. Pois bem, não queremos mais spoilers, certo? Então vamos para por aqui, mas resumindo, a história é fantástica, e você acaba se apegando muito ao seu astronauta e seu robozinho companheiro.

Esqueça que os Estados Unidos ou a NASA salvaram o mundo, esse jogo é muito mais “realista” nesse quesito. Os governos do planeta se reuniram e formaram a World Space Agency, com o intuito de minerar e produzir a energia na Lua e enviar através do MPT, um raio poderoso que envia a energia para a Terra e que é o alvo da trama do jogo. Uma pena que o logo da WSA (World Space Agency) foi praticamente uma cópia do logo da Agência Espacial Europeia, podiam ter caprichado um pouco mais no quesito.

Deliver Us The Moon

Ao longo da gameplay você encontra áudios, vídeos do passado (como os ECOs do The Division 2) que lhe explicam tudo o que aconteceu antes do blackout que deixou a Terra sem o poderoso MPT. No final você percebe uma coisa: eles fugiram para algum lugar, para Marte (o mais provável, já que o planeta mais perto e de melhor interesse humano), outra galáxia ou até mesmo outra dimensão, algo que não fica claro durante a sua jogatina.

Com uma trilha sonora muito próxima de Interestelar, uma ótima história e momentos, o jogo promove uma ótima imersão in-game, mas vamos tratar disso mais abaixo.

Seus gráficos, jogabilidade e sons

Ok, aqui as coisas ficam um pouco decepcionantes. O gráfico é OK, não é muito impressionante, mas você não pode rotular um jogo como “ruim” por causa de seus gráficos, né? Pois bem, dentro da base você tem uma qualidade OK, mas quando você vai pra fora você percebe o trabalho deles, o solo lunar é algo espetacular, bem feito, tanto as texturas quanto a sombra do mapa.

Sua jogabilidade é interessante, você possui diversos puzzles para cumprir e passar o seu nível, as vezes você tem que prestar a atenção no ambiente para poder descobrir uma senha de uma porta trancada! É bem interessante. Como nem tudo são flores, a movimentação do personagem é bem esquisita, não atrapalha em nada, mas as vezes parece que eles muito “duro”, e fica bem estranho.

Deliver Us the Moon

Sua otimização é que é um grande problema, você não tem um mundo aberto, tudo é fechado, correto? Então o mínimo que se espera seria uma otimização razoável, não é?. Então, era, mas infelizmente não foi o que aconteceu.

o jogo não roda a constantes 30 FPS, as vezes parecia que ele ia a 20 FPS e pior, em algumas fases era pior ainda, a uns 15 FPS. É claro, não temos um ‘FPSomêtro’ (eu acho que acabei de inventar essa palavra), mas vamos lá, após você jogar vários jogos em 30 ou 60 FPS você percebe que o jogo não está rodando liso como deveria, e isso as vezes pode atrapalhar durante os puzzles.

Agora vamos falar de uma coisa que eu nunca falei aqui: física. Deliver Us The Moon consegue representar bem as leis, e por exemplo, você já assistiu Interestelar? Você lembra da cena do dock da nave roubada e que acontece uma explosão e você não ouve nada? O jogo simula isso corretamente, já que em um determinado momento acontece uma explosão e que você não ouve nada, já que o som não se propaga no espaço, já que não existe ar nele.

No quesito de sons o jogo impressiona, uma ótima trilha sonora que casa muito bem com vários momentos de tensão. Um exemplo que jogos maiores deveriam seguir.

Você pode ter notado que nós comparamos o jogo diversas vezes com o filme Interestelar, mas o fato é que o jogo e o filme, querendo ou não, se igualam em diversos aspectos, como trilha sonora e história ao estilo “a Terra está passando por problemas, temos que nos mexer e procurar outro lugar para morar ou resolver esse problema”. Então eu recomendo você assistir o Interestelar e notar você mesmo que o jogo se iguala.

Deliver Us The Moon

Uma outra coisa que nos deixou triste é que o Deliver Us The Moon não é legendado para português, o que pode dificultar quem não entende ou quer prestar atenção na história sem precisar ficar traduzindo as legendas ou diálogos que estão em inglês.

Não encontramos nenhum bug que atrapalhasse a nossa experiência, nosso único porém fica apenas para a péssima otimização do jogo. As vezes temos a impressão de que o jogo está passando em câmera lenta por conta das quedas de frame.

O que achamos?

Deliver Us The Moon é um ótimo jogo. Sua ótima trilha sonora e história promovem uma ótima imersão, pecando apenas no quesito otimização. A falta de legendas em português pode atrapalhar a sua jogatina caso o seu inglês não seja razoável, mas caso você queira, você pode colocar as legendas em espanhol, o que pode dar aquela ajuda básica para entender tudo o que está sendo falado.

Pontos positivos

  • Ótima história;
  • Ótima trilha sonora;
  • Ótimos puzzles para você quebrar a cabeça;
  • Uma história “real”, sem a NASA ou os EUA serem os heróis;
  • Física in-game tenta ser a mais verossímil possível.
Pontos negativos
  • Péssima otimização;
  • Falta de legendas em português;
  • Pouca gamerscore.

Vale a pena comprar? Se você gosta da temática, sim. Deliver Us The Moon está disponível na Xbox Game Pass, tanto para o Xbox One quanto para o PC.

Mas se mesmo assim você estiver afim de dar uma chance, Deliver Us The Moon já está disponível para Xbox One na Microsoft Store por R$92,45.