Pega essa análise! Stranded Sails

Stranded Sails

Levantar âncoras!

Stranded Sails: Explorers of the Cursed Islands é um jogo desenvolvido pela Lemonbomb Entertainment e publicado pela Merge Games. Se você curte um misto de survival, gerenciamento de recursos e exploração, vem com a gente em mais uma análise!

O mar não está para peixe… ou está?

Stranded Sails perde pouco tempo com apresentações e em poucos minutos você já se encontra naufragado e “sozinho”.

Você inicia o jogo partindo em busca de um novo lar com seu pai, o capitão, e diversos outros personagens, cada um sendo um expert em sua área: a cozinheira, o marceneiro, o pescador, etc… Como dito antes, em poucos minutos, o que parecia ser uma viagem tranquila se torna um pesadelo, com o navio saindo de rumo e naufragando em um arquipélago tropical.

Pega essa Análise! Stranded Sails

Naturalmente, cabe a você, o jogador, a árdua tarefa de encontrar os tripulantes perdidos enquanto ergue cabanas, planta e colhe frutas/verduras, pesca, coleta recursos, explora as ilhas, entre outras tarefas. E é exatamente nessas mecânicas que o game está fortemente ancorado (trocadilho não intencional).

Tarefas, tarefas, tarefas…

Para os que jogaram/gostam de Harvest Moon, vão reconhecer imediatamente várias mecânicas aqui. Cultivar seu próprio alimento, cuidar da sua stamina para evitar a exaustão, pescar, reunir recursos para construir estruturas e por ai vai. Claro, essas mecânicas não são exclusividade da franquia HM, mas o posicionamento da câmera e o estilo visual remetem quase que instantaneamente aos jogos dela.

Você passará boa parte do tempo explorando as diversas ilhas do arquipélago, seja em busca dos demais membros da tripulação, seja para coletar recursos ou realizar favores para os demais personagens. E é ai que entramos no grande “problema” de Stranded Sails.

Pega essa Análise! Stranded Sails

Nem tudo é praia, sol e água de coco

O backtracking – ato de revisitar um local já explorado anteriormente – é bem frequente aqui e incomoda demais em algumas situações. Não são raros os momentos em que você se vê passando por um personagem no caminho para falar com outro, só para esse último lhe informar que aquele personagem (que você acabou de passar) quer falar com você.

É, no mínimo, frustrante. Ainda mais quando você interage com o dito cujo antes. É como se ele/ela tivesse amnésia temporária (estou rindo, mas é de nervoso).

Entendemos que o backtracking é algo comum em jogos de exploração, principalmente em um com a liberação gradual do mapa e surgimento de novos recursos, mas isso poderia ser melhor trabalhado em boa parte dos casos. Algumas situações parecem que estão ali simplesmente para alongar o tempo de jogo. Felizmente existe a opção de abrir o mapa e voltar instantaneamente para o acampamento principal. #ficadica

Notamos também quedas frequentes de framerate em determinados pontos, principalmente próximo ao navio naufragado, que serve de casa para o personagem principal e seu pai enfermo.

Pega essa Análise! Stranded Sails

Outro ponto que pode vir a ser um problema é o acesso rápido ao inventário, que é feito através dos analógicos, abrindo um menu radial na parte inferior da tela. A navegação pode ficar bem confusa e frustrante se você for um acumulador de coisas.

Felizmente é possível acessar a versão completa do inventário, que é dividido por categorias, o que facilita muito o trabalho. Caso você não seja um acumulador, provavelmente não terá problemas com o atalho.

Depois da tempestade vem a bonança

Tirando esses pequenos contratempos, Stranded Sails diverte muito com suas mecânicas e visuais coloridos, fazendo um belo uso do estilo low poly.

A trilha sonora é simples, porém agradável, combinando muito bem com o tema “ilha tropical”. O mesmo vale para os demais efeitos sonoros do jogo.

Pega essa Análise! Stranded Sails

O cast de personagens é variado, mas bem estereotipado. O que até faz um certo sentido, uma vez que aventura visava um recomeço em outro lugar, logo, especialistas em cada área seriam necessários para que tudo corresse bem.

Destaque especial para a localização do jogo, que está impecável em nosso idioma!

Pontos positivos:
  • Visual low poly bonito e colorido;
  • Trilha sonora agradável;
  • Mecânicas diversas;
  • Boa área explorável e side quests;
  • Totalmente em PT-BR;
Pontos negativos:
  • Backtracking exagerado em alguns momentos;
  • Quedas constantes de framerate;

Stranded Sails – Explorers of the Cursed Islands já está disponível na Microsoft Store por R$89,95.

REVER GERAL
Nota do Autor
7.5
Um apaixonado por games, aspirante a escritor e viciado em tecnologia.