Office

Não se iluda pelo o que você leu ou viu por ai, existe algo de muito especial por baixo desse ‘Patinho Feio’

Anthem, jogo de RPG online de ação multiplayer, foi desenvolvido pela BioWare e publicado pela Electronic Arts. O título foi lançado Xbox One em 22 de fevereiro de 2019. Anthem – Análise / Review

Anthem recebeu críticas negativas por grande parte da “mídia especializada”, por sua mecânica, aspectos técnicos e história, contribuindo para uma experiência que parecia repetitiva e superficial. Mas, será que ele merece tantas ‘pancadas assim’? Se liga ai que e é exatamente sobre isso que vamos falar em nossa análise.

Vamos começar pelo Be-a-Bá! Eu – assim como você – tive um surto psicótico ao ver o teaser-trailer-pré-gameplay-cinemático do jogo apresentado na E3 de 2017. No vídeo, podíamos ver um robô, voando por cenários incríveis, executando peripécias que jamais fora visto nos games. #HashtagBOCAABERTA! O que era aquilo. MEU DEUS, quando lança? como compra? O que que está acontecendo aqui?

Anthem - Análise / Review

2 anos depois, enfim, chegou a hora de curtir Anthem. Em Janeiro tivemos um “Alpha-Test” onde consegui receber acesso. Durante as horas que tive joguei, tive contato com algo que não era novidade (viu Destiny!), mas sentia que algo de muito especial estava ali.

Algumas semanas depois, veio o DEMO, e este já trazia correções que nós usuários do Alpha encaminhamos para a equipe de desenvolvimento da Bioware. Em ambos testes, fiquei fascinado por tudo que via e experienciava. Em alguns casos, fazia pequenos vídeos para poder analisar com mais calma a qualidade do que estava sendo apresentado.

Passado o Be-a-Bá, chegou o dia do lançamento, e com ele, o APOCALIPSE dos Robôs apareceu em meio da mídia e formadores de opiniões da INTERWEBS. Eu lembro que no dia recebi uma ligação do @grantheluc perguntando se eu estava acompanhando as notícias dos canais de games, mas eu ainda não tinha visto nada.

Estava numa semana atrapalhada, entre análises, lives e outros … não tive tempo de acordar, dar beijo na esposa, e falar; Ahhh agora é hora de ler sobre Anthem.

Anthem - Análise / Review

Lembro que o Theluc estava pasmo, falando “DEEJAY, abre nos canais X, Y, Z, A, B, C … veja o que estão falando de Anthem“. Ai ‘CRARU’ que curioso como sou, fui lá e comecei a procurar as tal das “Análises/Reviews” por ai, e, FIQUEI DE CARA NO CHÃO.

Gente, tem tanta coisa errada no que está acontecendo, que não vai dar pra escrever tanto TEXTÃO aqui não, vou tentar ser o mais rápido e direto no meu pensamento e posicionamento. (O Meme abaixo reflete bem o atual cenário).

Anthem - Análise / Reviewum dos primeiros artigos que abri, falava explicitamente: Um dos piores jogos da história …. outro viajava ainda mais na maionese e falava: A EA selou o caixão.

Eu nem vou entrar no mérito de quem analisou, de que forma analisou, se tem que ser profissional na área de jornalismo formado na UniNove (É DEZ!) ou mesmo ter um passado escrevendo horas e horas sobre games – igual um piloto batalhando em seu brevê – para poder formar uma opinião no mercado atual. Eu apenas vou dizer que Problematizaram o Problema.

Mas antes, vamos falar do jogo?

Situado em um planeta sem nome, os jogadores assumem o papel de uma Lança (a.k.a Freelancer): aventureiros heróicos que usam poderosos EXO-ESQUELETOS para defender a humanidade das ameaças além das muralhas de suas cidades.

O título do jogo se refere ao Hino da Criação, uma força poderosa e misteriosa responsável pela extraordinária tecnologia, fenômenos e ameaças do mundo. Na narrativa principal, o Freelancer do jogador é encarregado de impedir um vilão chamado The Monitor de assumir o controle do Hino.

Para tal façanha, você poderá jogar com 4 diferentes tipos de personagens, podendo alternar entre eles de forma rápida, durante as missões do jogo: Tempestade, Patrulheiro, Colosso e Interceptador.

Image result for anthem game

O jogo pode até ter uma história ”mediana”, mas não da pra deixar de observar que tem um enredo RICO em detalhes, e uma narrativa que – se você tiver paciência – te envolverá nas centenas de diálogos que acontecem. Eu não acredito que existe uma falha aqui, mas sim um mal julgamento por grande parte da mídia.

Você não vai me ver PUXANDO O SACO, de algo, só porque eu me derreti pelo que vi, uma coisa é eu ter meus gostos particulares … minha opinião para o público que me acompanha é uma coisa completamente diferente.

Além dos diálogos, existem dezenas de documentos e outras ‘cositas mas’ que encontramos pela Base “Forte Tarsis”, onde é basicamente o local onde você terá acesso a suas missões, contratos e também à alguns Mercadinhos, A Forja e seu Freelancer.

Falando em Forja, essa é uma das principais atratividades em Anthem. É aqui que a evolução do seu personagem acontece. Ao final das missões, todos os itens que você ganhar vai direto para lá, e consequentemente você pode acessar seu inventário rapidamente finalizando a rodada, ou através do Forte Tarsis.

Anthem possuí evolução única de level (de 1 a 30), isso significa que ao chegar no level 20 por exemplo, poderá usar seus equipamentos em todos os 4 Freelances que tem direito, ou seja, o jogo te permite utilizar as armas e componentes em todos os seus personagens, melhorando rapidamente os seus status para poder atuar em missões com dificuldades mais altas. Além disso cada personagem tem individuais opções de melhoria, nenhum é igual ao outro.Anthem - Análise / ReviewEm Destiny, por exemplo, você precisa subir até determinado level com seu personagem antes de equipar uma arma, além disso precisa subir até o Level X com todos os personagem que queira jogar, já em Anthem, isso não é necessário.

Leia Também:  The LEGO Movie 2 Videogame – Análise/Review

Não pense que para por ai, A forja te permite fabricar itens com uma imensa rapidez. Precisa de uma metralhadora leve e não consegue encontrar na missões? Colete itens pelo mapa e faça você mesmo. *Ainda não está claro se teremos a mesma qualidade fabricando itens versos encontrando durante as partidas.

E pra finalizar, é na Forja que você pode também personalizar seu Freelancer: Cores, Acabamento, Diferentes Visuais etc. E é o ÚNICO (CAIXA ALTA) lugar que você vai encontrar micro-transação! É SÓ COSMÉTICO!

Ativando o modo Homem de Ferro!

Acredite, VOAR se tornará uma das coisas mais prazeirosas no jogo, e essa simples função está para o jogo assim como a respiração está para nós seres humanos; VITAL para a sobrevivência. E é voando que também descobri quão divertido, inovador e particular Anthem é. Não é a toa que isso me deixou apaixonado pelo jogo.

Toda a mecânica que envolve essa parada de voar é insana. Você pode planar, atacar, criar combos, fazer uma ligação pro seu amigo … tudo isso enquanto voa. Se estava precisando de uma novidade para comprar o jogo, essa já te da uma grande vantagem.

Por enquanto os inimigos parecem ser repetitivos, o que vai diferenciar são as dificuldades no qual você seleciona antes de começar sua missão, essa sim vai aumentar o problema na hora de aniquilar as hordas ou matar o chefe da missão.

Anthem - Análise / Review

A Bioware disponibilizou 6 modos de dificuldades (até então): Fácil, Médio, Difícil, Grão Mestre I, II e III, tendo este último 3100% de aumento na defesa e ataque os inimigos. Eu recomendo você já começar a jogar no difícil e evoluir entre os níveis de forma cautelosa. Por incrível que pareça eu não vi ninguém ainda jogando no modo Grão Mestre III, e este sim deve ser PIKA demais pra fazer, os itens recompensa então … nem se fala.

História, Fortalezas, Missões, Contratos, Modo Livre e Partidas Rápidas

O feijão-com-arroz do jogo é completar a história (cerca de 10 horas), para que você possa subir o seu personagem para o nível 30 – que é o máximo até o momento – o mais rápido possível e assim aproveitar os benefícios que vem pela frente. Já falamos um pouco sobre a questão da história nos parágrafos anteriores, e a única coisa que podemos deixar claro aqui é: Isso é apenas o começo de tudo! Chato ou divertido, curta ou longa, ela é o ponta-pé para o que você irá se transformar.

As Fortalezas são missões que se parecem com as famosas RAIDs. Possuem diferentes momentos e objetivos e no final é detonar aquele Chefão que você já estava esperando. E acredite, quando digo que mesmo com habilidades incrivelmente poderosas e armas equipadas, as Fortalezas – e particularmente as lutas contra chefes – serão extremamente difíceis.

Ao avançar nas diferentes dificuldades fica claro que é exatamente ali que precisaremos ter uma estratégia de jogo bem definida, portando, jogar com amigos/conhecidos será fundamental.

Anthem - Análise / Review

É crucial que você e sua equipe trabalhem juntos para enfrentar as forças inimigas, utilizando as habilidades únicas de cada Freelancer (sem dúvida)  de uma maneira bem mais significativa do que durante missões de campanha, seja dirigindo todos os ataques em um inimigo, revivendo um companheiro de equipe abatido ou usando as diferentes habilidades para infligir dano de área enorme em um grupo de inimigos recém-desovados.

Uma vez que você tenha conseguido derrubar o chefe e derrotar a Fortaleza, você é recompensado com equipamentos épicos, magistrais e lendários, sendo este ultimo o equipamento mais raro disponível no Anthem, oferecendo as melhores propriedades para melhorar o seu Freelancer.

As Missões serão parte da sua empreitada, entenda como side-quests que vão te ajudar não só a entender melhor o universo de ANTHEM, mas também te guiar em prol da evolução do seu personagem. É isso!

Anthem também tem o formato de Modo Livre, e nele não existe um fim, você pode ficar pulando de lá pra cá, procurando os eventos que aparecem em XYZ lugares, e ao final é só agradecer o Baú com itens que você vai ganhar. Ótima opção para quem quer ficar farmando, mas POUCO XP!

Já os Contratos possuem um papel especial no jogo: Te ajudam a evoluir mais rápido e também proporcionam equipamentos de ponta. Logo após terminar a história, você será convidado a iniciar os Contratos Lendários, e esses, dependendo da dificuldade escolhida, te dará os itens mais FODÕES do jogo. É repetitivo sim (e o jogo fala isso), porém é característico do gênero, afinal, você jogou Destiny sem parar, repetindo tudo todos os dias e se divertiu – não foi?

Para finalizar essa parte, as Partidas Rápidas vão te jogar dentro de um outro Squad para que você ajude alguém esteja precisando. Pode ser uma missão, um contrato, uma fortaleza … concluir partidas rápidas será necessário e você entenderá o porque ao terminar a história.

Problemas: Tela Preta, Perda de Som, Queda de Servidor …

Pensaram que eu não ia trazer os problemas que ANTHEM proporcionam em minha vida? O jogo já recebeu algumas atualizações onde os desenvolvedores PROMETERAM que tinham corrigido pontos mais básicos como drop de itens para quem já está acima do level 30, conexão com o servidor, etc … MAS, parece que isso esta um pouco longe de acontecer.

Leia Também:  343i não tem intenção de colocar Halo 5: Guardians no Master Chief Collection

Dentre os casos citados acima, os que presencio continuamente são: Queda do servidor e perda do som do jogo, este último inclusive requer que você feche e reinicie o jogo, e em alguns casos, é necessário reiniciar seu Xbox One para que tudo volte ao normal.

Anthem - Análise / Review

As vezes jogo por mais de 1 hora até que algo aconteça, as vezes nada acontece … porém em alguns casos tive desconexão de 5 em 5 minutos. É frustrante você estar próximo de finalizar a missão e seu jogo desconectar do servidor e você perder todos itens que poderia ter ganho, mas se tiver no meio da partida, da tempo de voltar na mesma sessão e isso é uma PUTA ajuda.

É CHATO DEEJAY? É CHATO, MAS … isso não tira a beleza e a diversão do jogo. Da pra viver tranquilamente até os caras resolverem … Mas Alô Bioware vamô resolver isso ai?

De volta ao textão!

#TRENDINGTOPIC no mundo dos games são as “danadas” das Análises de Jogos. Eu nem ia me pronunciar sobre o tema, mas cara, que PÉ NO SACO ein? Que situação desagradável. Hoje em dia as pessoas se preocupam em resolver um problema criando OUTRO. Ninguém mais se diverte jogando, seja o game que for, apenas problematizam qualquer aspecto para desmerecer o que foi feito.

Eu não sou profissional da área, tão pouco fiz faculdade ou qualquer curso relacionado com jogos, apenas sou um grande AMANTE dessa arte, e nos meus 37 anos de vida, tive contato com milhares de títulos, e isso me fez querer mostrar para o público o quanto sou apaixonado por videogames.

O assunto é Anthem, porém isso serve para QUALQUER JOGO. Primeiro de tudo, durante a minha LIVE do demo do ANTHEM, tivemos 12 MIL pessoas assistindo, de longe o maior número que já tive em uma Live, ultrapassando Forza Horizon 4, BFV e APEX. Nitidamente as pessoas estão interessadas no jogo, seja pela polêmica, ou para aprender mais, mas não dá pra dizer que o jogo é um “floop“.

Anthem - Análise / ReviewÉ natural formar uma opinião ao ter contato com um JOGO, seja ela negativa ou positiva, ainda mais quando você usa o seu rico dinheirinho para adquirir o produto. E é ai mesmo que a gente faz uma pausa: EU TIVE CONTATO, EU estou analisando enquanto jogo, logo, você não deve necessariamente levar em consideração tudo o que eu FALO ou FAÇO como formador de opinião.

A ideia é te dar uma base do que eu senti e estou vendo (afinal você confia e gosta do meu trabalho), e ai você pode decidir se é algo que te interessa, se é algo que você vai querer investir tempo, se o gênero está entre os que você gosta, se o custo do jogo te encanta … E AI SIM, você vai jogar e falar; GOSTEI OU NÃO E PONTO!

O fato é que as pessoas estão absorvendo as críticas, e usando isso apenas para gerar RAGE e vagas opiniões sobre diversos temas, que nem sempre possuem tal qualidade.

Vejam Crackdown 3 por exemplo: A palavra que mais leio por ai é “FLOOP”. Como se o jogo já tivesse nascido morto. MAS, pera ai, as pessoas estão jogando, e falando que a coisa não é bem assim.

Talvez a Microsoft tenha colocado muito “marketing” pra divulgar o jogo, e ele não é tudo isso, mas jesus, isso faz parte da coisa. Vai lá, senta, gasta 1 hora jogando, veja se curte. E se não curte, passa pro próximo, abraços!

Quando a Bioware divulgou o trailer do Anthem na E3, e era de cair o queixo, entenda que ele ainda é, só caiu no seu conceito porque você leu uma narrativa que não agradou a outra pessoa, Mas pode agradar a você.

Não é de hoje que algumas cadeias de FAST FOOD usam fotos “montadas” para divulgar seus Lanches, e mesmo assim você vai lá e consome com GOSTO.

Não foi ontem que as análises de jogos começaram a pipocar por ai, e não será algo que deixará de existir, apenas mantenha em mente que no final das contas o que importa é como foi a SUA EXPERIÊNCIA com o produto, e não a do(a) seu(ua) formador(a) de opinião favorito(a).

Resumindo

Anthem é o completo oposto de um jogo tradicional da BioWare; possui um sistema de combate e movimento impecável,  tem um mundo intrigante e há muito potência para os desenvolvedores trabalharem em futuras atualizações de conteúdo.

Mas, como mencionado, os sistemas de combate e seus movimentos tornam este jogo uma alegria absoluta de se jogar; a novidade de voar em torno do campo de batalha conjurando trovões, chuva, mudanças climáticas, o gráfico, as milhões de partículas usando total capacidade do seu Xbox One, o DNA … era algo que não tinha visto na vida. Há muito mais que a BioWare pode fazer – e esperamos que ela seja ainda mais aprimorada nas próximas atualizações.

Como eu sempre digo “Jogue para se divertir e não se frustrar”.

Anthem – Análise / Review

Microsoft LATAM
REVER GERAL
Nota do Crítico
7.5
Natural de São Paulo - BR, atualmente morando na Florida - USA, tem mais de 20 anos de experiência com Planejamento, Criação e Marketing, ama música, toca bateria e seu principal hobby são os Games.