americanas.com.br

Apostando na união de várias animes e mangás para conquistar o público!

Desenvolvido pela Spike Chunsoft Co. e publicado pela BANDAI NAMCO, Jump Force nos traz um mashup legal de mangás mas uma gameplay e história que não cativa. O nosso time fez uma análise frenética deste game e o resultado dessa experiência você confere agora. Jump Force – Análise / Review

História

Para falar de história é meio complicado, porque o jogo praticamente não tem nada além de uma narrativa genérica e bem clichê.

Basicamente alguns elementos super perigosos começam a criar um plano maligno para invadir o mundo real e nesse momento que surge você, como o salvador da pátria.

A criação do seu personagem é legal mas como seu personagem não fala nada e fica só ali como um bobo da corte, isso atrapalha completamente a história.

O jogo tinha tudo para ter uma história bem densa com todos esses universos juntos, no começo até parece que será assim, mas com o passar do tempo você percebe o quão confusa e sem argumentos ela fica.

Com isso os universos são obrigados a serem juntados para formar a Jump Force em busca de combater esses vilões e restaurar a ordem.

Em nenhum momento você consegue ter um apego com a história e com os personagens, porque o jogo não consegue te cativar em nada.

Jump Force - Análise / Review

Jogabilidade

No começo o jogo te dá a oportunidade de entrar para o time de Goku, Naruto ou Luffy, o jogador pode escolher um dos três para ser seu mentor juntamente com seu grupo de parceiros.

Conforme o líder que você escolher suas habilidades vão se desenvolver de acordo com o líder e com os integrantes de sua equipe.

Aí começam os problemas de LOADING… velho que parada bizarra, eu NUNCA vi um jogo com tanto loading na minha vida, até para entrar em um loading tem loading.

Leia Também:  Moons of Madness ganha seu trailer de anúncio

Tem loading para ir para a missão, aí tem loading para acontecer o diálogo, e em vez de ali já começar a luta NÃOOOOO, eles tem mandam pra outro LOADING para começar o finalmente a batalha.

Em muitas oportunidades você fica mais tempo no loading que antecede a luta do que na própria luta.

Isso atrapalha o jogo de uma maneira, porque o jogo já não é lá muito agradável de se jogar por horas ainda tem um loading que parece mais uma reunião no Senado, é bizarro a quantidade de loadings que tem só para começar uma luta.

Jump Force - Análise / Review

O jogo ainda conta com umas cutscenes muito bem elaboradas mas outras feito ali de qualquer jeito que ninguém fala nada, só fica passando um diálogo escrito como se os personagens estivessem conversando.

A jogabilidade em si é a parte mais divertida mas também não apresenta nada demais, de tudo que tem no jogo é o que mais consegue salvar de positivo.

O combate de um modo geral é bem legal, toda aquele combinação de golpes e poderes, muitos especiais bem fiéis ao que realmente são nos animes, mas tem muitos caras ali que são completamente desbalanceados e dão um dano astronômico com um simples golpe.

A progressão do seu personagem também não é nada muito legal, basicamente você vai ganhando uma espécie de moedas para trocar por roupas, habilidades e algumas melhorias mas nada muito legal.

Eu joguei por várias horas e não consegui realmente perceber que meu personagem estava tendo uma evolução em combate.

Leia Também:  The LEGO Movie 2 Videogame – Análise/Review

Jump Force - Análise / Review

Gráficos e Som

Esse é um ponto que o jogo se torna bem bizarro em alguns momentos, parece que a desenvolvedora ficou sem saber se fazia um gráfico mais pro live action ou para o anime e acabou fazendo uma coisa completamente sem identidade.

Tem alguns personagens que estão completamente bizarros, as expressões faciais conseguem ser menos impactantes que o desenho do South Park.

O jogo tem muita riqueza de detalhes em alguns personagens e algumas determinadas cutscenes, mas já em outros para que foi feito um trabalho todo meio que tocado de qualquer jeito.

A parte sonora do game é bem legal por contar várias músicas clássicas que vemos nos animes, sem contar na dublagem dos personagens, o som da gameplay também funciona de uma maneira bem agradável.

Jump Force - Análise / Review

Multiplayer

Os modos on-lines são aqueles clássicos que já conhecemos. Partidas contra outros jogadores, partidas rápidas, rankeadas ou alguns outros tipos de torneios, nada muito inovador e que realmente atraia o jogador a ficar jogando por horas nesse modo, a única coisa que pode ser legal é poder juntar com os amigos para curtir esse mashup.

Conclusão

Jump Force é um jogo que parece ter focado apenas em unir os animes/mangás e esqueceu completamente do resto, com gráficos sem uma identidade e uma história bem genérica, um sistema de progressão aleatório, ele só agrada mesmo por ter vários personagens clássicos para quem curte animes/mangás.

Pontos Positivos

  • União dos mangás.

Pontos Negativos

  • Loadings eternos;
  • História fraca;
  • Gráficos sem identidade.

Jump Force já está disponível na Microsoft Store por R$ 249,00.

Jump Force – Análise / Review

Microsoft LATAM