O Remake de 1998 chega acabando com os zumbis!

Trazendo de volta o grande sucesso de 1998, os japoneses da Capcom nos brindam com uma nova visão do grandioso Resident Evil 2. Voltamos a Racoon City, para reviver momentos chave dessa história além de termos a chance de vivenciarmos novas situações nesse game que solidificou o tema Survivor Horror nos consoles! Resident Evil 2 – Análise / Review

O nosso time fez uma análise de dar arrepios e vários sustos e o resultado de toda essa aventura você vai conferir agora! confere agora.

Racoon City – Setembro de 1998

Leon S. Kennedy, policial novato e em seu primeiro dia de trabalho e Claire Redfield, que esta em busca do paradeiro de seu irmão Chris, por sorte ou azar chegam juntos a Raccoon City em meio a um surto de mortos vivos que assola toda a cidade.

Resident Evil 2 - Análise / Review

Estamos em Setembro de 1998, e Raccon City está envolta ao caos enquanto zumbis comedores de carne humana vagam pelas ruas em busca de sobreviventes. Um surto de adrenalina sem comparação, uma história instigante e horrores inimagináveis o aguardam.

Resident Evil 2 começa nesse momento, com eles se vendo obrigados a fugir e descobrir o por quê destes acontecimentos e o que levou à cidade a esta ecatombe de zumbis espalhados por todo lugar.

Jogabilidade

Resident Evil 2 tenta manter ao máximo o que o jogo original nos proporcionou, em alguns momentos ela acaba parecendo até um pouco ”velha” em comparação com o que vemos nos games atuais. A mudança da câmera fixa para a visão em terceira pessoa com certeza nos dá uma nova perspectiva sobre o que tínhamos como referência sobre o jogo original.

O jogo pode te proporcionar uma gameplay bem diferente tudo dependendo da dificuldade que você escolhe, caso o jogador queira jogar no modo mais insano ele tem que tomar muito cuidado porque até o ”saves points” são contados, sem contar que você deve contar suas balas e não existe salvamento automático.

Leia Também:  Divulgados os jogos mais vendidos no Reino Unido

Resident Evil 2 - Análise / Review

O modo normal é aquele bem tradicional com um pouco menos de dificuldade, com saves automáticos, numero maior de balas e inimigos menos perigosos, já no modo fácil é very very easy, então é melhor nem jogar kkkkk, para jogar Resident Evil no fácil é melhor assistir o filme do Pelé, joga pelo menos no normal né fera! hahaha…

O campo de visão é aquele clássico por cima do ombro que pode te deixar bem nervoso com tudo que está acontecendo ali no game, cada momento que passa você fica mais apreensivo e com medo que algo te assuste do nada.

Atirar na cabeça não significa que vai matar o inimigo na hora, isso mesmo o game te deixa bem tenso até nisso, o jogador atira de boa na cabeça do zumbi ele cai e você achando que ele morreu quando do nada ele pendura no seu pé e te ataca, então é sempre bom dar aquele tiro de misericórdia só para conferir mesmo, se possível evitar errar muitos tiros porque as balas podem te fazer falta.

O que sempre foi popular da saga RE é que o jogador tem que saber como administrar seu inventário e o que ele deve acabar carregando e o que vai deixar para trás, principalmente no começo é sempre bom saber dosar os itens, com um tempo melhorias da mochila acabam sendo desbloqueadas, mas nada com facilidade, você que não vai buscar resolver enigmas para encontrar melhorias para mochila.

Resident Evil 2 - Análise / Review

Gráficos e Som

Resident Evil 2 é, de novo, uma obra de arte. A primeira impressão que temos quando entramos no jogo é: ” PUT* QUE PAR**, QUE PI**”! A evolução gráfica que um remake proporciona é sempre excelente e com Resident Evil 2 não foi diferente.

O game apresenta cenários totalmente remodelados, trazendo o que já conhecemos de uma maneira totalmente mais polida visualmente. Aquela pegada de terror que já estava presente no game original se faz ainda mais presente por conta dos gráficos melhorados que nos colocam em uma atmosfera totalmente envolvente e horripilante.

Leia Também:  Streets of Rogue ganha data de lançamento

Tanto cenários, monstros e os personagens são muito bem modelados e texturizados nessa nova versão.

Resident Evil 2 - Análise / Review

O som é um show a parte. Para um jogo que deve trazer uma atmosfera de terror, o áudio é um dos principais, se não o principal, componente responsáveis por colocar o jogador em um ambiente de terror.

A gameplay muita das vezes não tem um som rolando de fundo; Ouvimos apenas os passos de nosso personagem e os sons de interação dele com partes do cenário. Isso trás uma atmosfera ainda mais tenebrosa para o game. As músicas aparecem em partes tensas e os momentos são muito bem desenhados para casar bem com a música que rola no background.

O game não conta com dublagem em PT-BR, mas o trabalho da dublagem foi excepcional e vai agradar bastante quem manja dos ”english”.

Resident Evil 2 - Análise / Review

Conclusão

Resident Evil 2 vem com toda força de uma conhecida franquia, trazendo mudanças sutis de roteiro e mudança da mecânica de tiro que não te leva para uma câmera em primeira pessoa. O game se modernizou onde precisou, mas manteve o que já tinha dado certo e continua sendo, agora mais ainda por conta das melhorias na gameplay e melhorias gráficas, um dos melhores, se não o melhor Resident Evil já feito.

Pontos Positivos

  • História incrível;
  • Efeitos sonoros incríveis;
  • Toda aquela tensão do passado;
  • Gráficos exuberantes.

Pontos Negativos

  • Sem dublagem PT-BR.

Resident Evil 2 já está disponível na Microsoft Store por R$ 225,00.

Agradecemos imensamente ao time da Capcom aqui no Brasil por nos ceder uma cópia para que pudéssemos escrever esta análise!

Resident Evil 2 – Análise / Review