Todo fim de ano temos 2 coisas, Roberto Carlos e um novo Call of Duty!

Por mais que o público em geral fale que o tema futurístico já está saturado, Call of Duty: Black Ops 4 chega mostrando que a Treyarch, desenvolvedora responsável pelo game, ouviu sim os fãs e trás um game totalmente diferente do convencional, com 3 modos online e nenhum modo história.

Será que esse diferente do convencional deu certo? É o que você vai descobrir agora em nossa análise. Call of Duty: Black Ops 4 – Análise / Review

Tira, põe, deixa ficar ! (CAMPANHA)

Call of Duty: Black Ops 4 não trás o já famoso e conhecido modo campanha e por este motivo a Treyarch pensou em oferecer um vasto material em modos online para compensar a falta de uma história central.

O substituto do modo campanha se chama Blackout que trás pela primeira vez aos consoles um modo Battle Royale em Call of Duty.

Call of Duty: Black Ops 4 - Análise / Review

Sobreviva em Blackout !

Talvez, a maior novidade da franquia neste ano seja o modo Battle Royale que leva o nome de Blackout. A pegada é a mesma de outros games do gênero por aí e segue a receita e coloca até 100 jogadores em um mapa onde o último sobrevivente vence.

Você pode jogar solitário, em dupla ou em grupo com até 4 jogadores. O modo trás um mapa com diversos locais já conhecidos da franquia reunidos em um só lugar e também trás novas localizações com veículos como caminhões, helicópteros e quadriciclos para facilitar o deslocamento pelo mapa.

O brilho de Blackout se dá por conta de sua jogabilidade que é aquela já conhecida da franquia Call of Duty. A mistura de elementos do multiplayer, jogabilidade lisa da franquia e um constante frame rate – na maioria das vezes – faz de Blackout um dos melhores, se não, o melhor modo/jogo Battle Royale disponível no mercado.

Leia Também:  Missões de Cyperbunk 2077 poderão moldar o mundo de acordo com suas escolhas

O modo Multiplayer sofreu algumas mudanças!( Multiplayer e jogabilidade )

Particularmente falando: eu não sou fã de jogos futurísticos e por isso odeio quando as desenvolvedoras de Call of Duty trazem isso para seus games, mas Black Ops 4 conseguiu unir o ‘útil ao agradável’.

O modo multiplayer deixou de lado toda aquela ” firula ” de ficar com jetpack no r*bo e trouxe de volta o que muitos fãs estavam pedindo: a guerra pé no chão.

Call of Duty: Black Ops 4 - Análise / Review

Este ano o multiplayer trouxe mudanças drásticas ao jogo com um novo sistema de regeneração de vida que agora deixa de ser automático e passa ser acionado pelo jogador através de um botão de ação em seu controle.

Essa mudança, que também vale para o modo Blackout, deixou a gameplay mais dinâmica e mais desafiadora, já que agora você deve ter mais cuidado ao sair de uma troca de tiros e se curar antes que um inimigo lhe ache.

Call of Duty: Black Ops 4 - Análise / Review

Os especialistas também continuam presentes no game e muitos deles são caras conhecidas do Black Ops 3.

No geral a jogabilidade continua a mesma, mas é fácil notar que melhorias na movimentação foram feitas e por mais que – visualmente falando – o game não traga grandes mudanças, o aspecto técnico melhorou muito!

Os modos continuam os mesmos com algumas novidades. Este ano a Treyarch trouxe os seguintes novos modos:

  • Assalto – O modo é simular a search and destroy, mas trás uma mecânica de armamento diferente. Você começa com pouco dinheiro e tem que comprar seus equipamentos conforme pega os malotes de dinheiro e vence as partidas;
  • Controle – O modo te coloca em um mapa com um ponto que deve ser capturado e controlado por sua equipe para que você consiga a vitória. A equipe que ficar mais tempo no objetivo, controlando ele, vence!
Leia Também:  Como desativar a reprodução automática de vídeo da Microsoft Store no Xbox One

Os Zumbis estão de volta!

A falta de uma campanha em Black Ops 4 pode facilmente ser esquecida quando entramos no enredo do modo Zombies. No modo, Scarlett Rhodes está pronta para solucionar o mistério do desaparecimento de seu pai que sumiu enquanto desvendava o oculto. Ela conta com a ajuda de três marginais leais. Diego, Stanton e Bruno em dois mapas.

O  IX que leva a tripulação ao passado, aonde eles vão atirar e abrir caminho através de um coliseu cavernoso cheio de hordas de mortos-vivos e o Voyage of Despair que se passa durante  a viagem inaugural do RMS Titanic. Nossos heróis chegaram lá para capturar um artefato que pode ajudar a explicar o mistério central de sua aventura.

No geral o modo continua com sua essência e se consolida ainda mais como um modo obrigatório nos jogos da franquia.

Gráficos e Som

Os gráficos deram uma evoluída, mas nada muito ”oh meu deus, que mudança!”. Os detalhes dos mapas são bons e os personagens muito bem modelados. O som do jogo é um show a parte com as músicas, sons das armas e a dublagem.

Conclusão

Call of Duty: Black Ops 4 é sem dúvidas uma grande aposta para a franquia. A falta de um modo campanha é compensado com 3 modos online que são sensacionais. O destaque aqui fica para o Blackout que deve assumir o posto de líder e ser referência no mercado de games battleroyale. Certamente o game é compra obrigatória para os fãs da franquia.

Call of Duty: Black Ops 4 já está disponível na Microsoft Store por R$ 230,00.

Call of Duty: Black Ops 4 – Análise / Review

REVER GERAL
Multplayer
9
Zombies
7
Blackout
9
Gráficos
8
Som
9
Gameplay
9
Natural de Juiz De Fora, MG. Apaixonado por games e tecnologia tenho em mente que ''Se o Pica-Pau tivesse comunicado a policia, isso nunca teria acontecido.''