Análise: Redout – Lightspeed Edition

Redout - Lightspeed Edition

F-Zero é você? Redout – Lightning Speed Version

Para quem estiver beirando os 30 anos e colocar as mãos em Redout, na mesma hora virá à cabeça a memória e o gostinho de F-Zero. Redout é um verdadeiro tributo a um dos maiores clássicos dos games de corrida em todos os tempos. Redout – Lightspeed Edition

Não é um jogo que demandou um enorme investimento da 34BigThings, mas as horas de
diversão que aqui podem ser extraídas são dignas de um AAA. A gente analisou essa belezinha e o resultado você confere agora!

Em Redout seu principal objetivo, claro, é vencer as corridas. Para isso, temos à disposição algumas naves/carros simples, de fácil manuseio, para que o jogador possa conhecer melhor o que o game tem a oferecer.

O Modo Carreira, principal modo de jogo, é obrigatório para desbloquear mais naves e pistas, que são inúmeras em Redout. O game te convida a jogar e as horas passam na mesma velocidade em que as naves percorrem os circuitos, que foram muito bem planejados e te estimulam a aprender as artimanhas deste título.

Redout - Lightning Speed VersionExistem outros modos de jogo, como desafios a “ghosts” para bater seus tempos, evitar danos às naves, nunca fechar uma volta em último lugar e etc. Tudo, no entanto, nos leva à tal da velocidade. O seu dedo dificilmente sairá do RT/R2 aqui.

Os pontos feitos nas corridas te dão dinheiro para comprar mais naves, evoluí-las e deixar o jogo ainda mais interessante. Recomendo aqui jogar com os amigos em tela dividida, é diversão na certa.

Imersão, gráficos e nostalgia

O jogo lembra muito F-Zero. Fato. Mas também traz resquícios de um outro game de corrida futurista: Extreme G, que apareceu no Nintendo 64. Além da barra de nitro, que se esvai conforme o uso e pode variar de acordo com a nave selecionada.

Temos também os medidores de dano, como em F-Zero, mas também as “Power Ups”, aditivos que podem ser instalados nas naves para causar dano extra aos concorrentes, melhorar a resistência da sua máquina, e até mesmo repelir os adversários no meio da prova.

Tudo isso faz com que Redout seja pura nostalgia, mesmo com gráficos que, para um jogo “indie”, sejam de ponta.

O game roda liso a 1080p 60fps no Xbox One S, console que utilizei para esta análise. A velocidade e fluidez são tamanhas, que mesmo pessoas mais sensíveis não sentirão qualquer tipo de vertigem ao jogar.

Redout - Lightspeed EditionOutro ponto altíssimo de Redout é a trilha sonora. Como diria um amigo meu: ‘Rapaaaaaazzzz’. A variedade de sons e ritmos dá a impressão de estarmos ainda mais rápidos em Redout. Um trabalho primoroso que é bem difícil de se ver em jogos indies.

Cadê o online? Em pouco mais de dois meses com o game, não conseguir fazer uma partida online! Foram inúmeras as tentativas, por isso a nossa nota sobre o multiplayer é muito mais em cima do que nós achamos que o jogo pode oferecer do que o que ele realmente oferece. Cabe uma explicação da 34BigThings aqui.

Redout - Lightning Speed VersionAliando modernidade e nostalgia, Redout: Lightning Speed Version é obrigatório para os fãs de corridas futuristas. Apesar do online quebrado, o jogo pode render horas e mais horas de multiplayer local.

O modo carreira é super completo e a jogabilidade simples, aliada a bons gráficos e trilha sonora matadora já garante o game. Vale muito a pena!

Redout – Lightning Speed Version já está disponível na Microsoft Store por R$79,00 e na PlayStation®store por R$143,50 – Errou feio no preço ein Sony!

Redout – Lightspeed Edition