Phil Spencer falou sobre as possibilidades de acordos que possam reprimir o desempenho técnico.

A Microsoft revelou oficialmente o Xbox One X na E3 nesta semana, fornecendo um nome e detalhes para o Xbox One melhorado anteriormente conhecido como Project Scorpio.

Já sabemos que o console é mais poderoso do que o PS4 Pro, mas as empresas de jogos agora se encontram em uma posição em que eles precisam decidir como abordar as melhorias oferecidas no Xbox One X em comparação com o PS4 Pro.

3248142-xbxAprendemos esta semana que o Destiny 2 será executado em 30 FPS no Xbox One X, assim como será no PS4 Pro. Mas não está claro se esse framerate é o resultado de restrições de hardware ou porque a Sony, através de sua parceria com a Activision, não permitiria que o jogo funcionasse melhor em hardware rival.

OBS: É importante entender uma coisa: O Xbox One X entrega 4K Ultra HDR com 60FPS, cabe ao desenvolvedor explorar 100% este recurso. Portando se um jogo roda em 30FPS não é falha do Xbox One X.

O diretor do Xbox Phil Spencer juntou-se ao GameSpot num programa ao vivo direto da E3 para discutir isso e muito mais. Quanto ao potencial de desempenho técnico dos jogos para ser retido devido a tal acordo, ele observou que ele não estava ciente de que isso acontecia especificamente, mas ele diz que isso é ruim para a indústria.

“Eu vou me esforçar para não me meter em problemas com ESTE ASSUNTO”, disse ele. “Eu vou apenas dizer: eu não sei nada sobre outrOS ACORDOS de desenvolvimento. Você mencionou algumas coisas em torno de cláusulas e coisas sobre as quais eu não sei nada. Mas se alguém FEZ um acordo para reter a inovação técnica em um Videogame em qualquer outro lugar, isso não me parece bom para a indústria”.

Phil passou a contrastar a abordagem de garantir conteúdo exclusivo com a forma como a Microsoft opera. “Eu disse que não sou um fã de sair e fazer negócios para que uma certa coisa não seja jogável em outra plataforma”, disse ele.

“E as pessoas vão vir e dizer: ‘Ei, vocês fizeram isso primeiro com o Call of Duty’. Eu não estava nessa posição quando isso aconteceu. Não é isso que me quero me responsabilizar mas não fui eu quem fiz esse acordo.

Confira a entrevsita completa abaixo

“Os acordos que fazemos agora – e você viu nossos relacionamentos de terceiros no palco com Shadow of War, e Anthem, você não vai ouvi-los dizer nada sobre um certo personagem que não é jogável. E nunca entro em uma situação em que digo: “Você não pode fazer algo que seja possível em outra plataforma” para se beneficiar. Não vi esses negócios. Se isso começou a acontecer na indústria, eu não acho que isso é bom ou qua trará benefícios para quaisquer lados. Eu não sei o que aconteceu”.

Phil também deixou claro que ele vê o Xbox One X em um nível diferente dos consoles atualmente no mercado. “Agora sabemos que capacidade técnica do Xbox One X está além … Eu olho para [PS4] Pro, [PS4] Slim, [Xbox One] S como nichos de uma categoria, e então você tem uma novo console, como você disse, isso pode nativamente fazer muito mais. Se os desenvolvedores escolhem usar a potência para framerate, resolução ou apenas técnicas dentro do quadro, não serei eu quem irá ditar isso, dou a liberdade a qualquer um.

Ouvi outro dia: ‘Ei, você Deve forçar todos os jogos a [executar em] 60 [quadros por segundo] ou algo assim “. Nunca pensei que forçar o processo criativo seria uma maneira de obter ótimos jogos “.

Essa é apenas uma das polêmicas na qual a Sony e o Playstation estão envolvidas nesta semana. Será mesmo que a Sony estaria trabalhando por baixo dos panos para barrar a evolução tecnológica que o Xbox One X poderia trazer ao mercado – pela falta de potência que seu PS4 PRO não pode proporcionar??