Análise: Cast of the Seven Godsends – Redux

0
479

Alguém por aqui já jogou um game chamado Ghouls n`Ghosts (Arcade, 1985)?? Pois é.. Esse é um game daquela época onde o desafio era mais importante que os gráficos e que o objetivo do game parecia ser, na verdade, testar se o jogador realmente tinha nervos de aço. Foi exatamente neste sentido que chegamos a Cast of the Seven Godsends – Redux.

O jogo da Raven Travel Studios e da Merge Games é um verdadeiro presente para os gamers “old school”

image

histcast

Você é o grande Rei Kandar, governante de Dareca. O imperador do mal Zaraaima raptou seu pequeno filho e herdeiro do trono. Portanto, cabe ao rei magricela embarcar em uma missão para resgatar seu filho. Durante a jornada o rei contará com a ajuda de sete deuses que lhe concedem poderes específicos.

CastofSeven2-768x432

CastofSeven2-768x432

Cast of the Seven Godsends – Redux é um clássico game de plataforma bastante desafiador. Apesar dos comandos serem bem simples, nosso personagem pode atirar sua arma nas 4 direções, saltar, invocar deuses para aprimorar suas armas e invocar uma poderosa magia que “varre” a tela. As características de cada poder imbuído em suas armas, dependem do deus que nosso rei invoca, da mesma forma acontece com a magia.

São 5 armas que vão desde pequenas adagas até martelos. Cada arma apresenta diferentes maneiras de arremessar, apresentando trajetórias um pouco diferentes. Isso continua acontecendo quando estão com algum poder específico dos deuses, além disso elas apresentam velocidade de arremesso e danos diferentes.

imageSão seis fases e o jogo vai constantemente nos bombardear com inimigos que aparecem insistentemente para incomodar. Nosso personagem conta com uma armadura que, assim como no clássico Ghouls n`Ghosts, vai se despedaçando a medida que é atingida. Três hits são suficientes para mandar nosso rei para o mundo dos mortos. Quando perde sua armadura e apenas um hit é necessário para perder a vida, o rei conta com uma espécie de “morte” que o acompanha flutuando em seu ombro e o ajuda disparando pequenos projéteis. Ao contrário do citado clássico de 1985, aqui nosso rei tem dignidade o suficiente para morrer antes de ficar andando por aí apenas de cuecas. Falando em morrer, a morte aqui custa caro. São poucas vidas e perdê-las vai te dar a oportunidade de usar um continue que também é limitado a 5. Acabaram as vidas? Os continues? Como num belo clássico game de plataforma de antigamente, é game over amigo. O jogo te dá a opção de salvar a qualquer momento mas você vai retornar em pontos específicos das fases e não no ponto exato em que salvou o jogo.

Leia Também:  Pega essa Análise: Rogue Company

image (1)Como se não bastassem os inimigos pipocando pra tudo quanto é lado, as fases tem um limite de tempo! Essa característica deixa o game ainda mais desafiador. Apesar de tudo, nosso rei vai poder contar com muitos power-ups espalhados pelas fases ou dropando de inimigos. Esses power-ups e itens aparecem em formas de partes de armaduras, como por exemplo, botas que te permitem aumentar a velocidade ou manoplas que aumentam o dano da arma. Já os itens variam desde barrinhas de ouro, que aumentam a pontuação até pequenas esferas que fazem aparecer um “amiguinho” alado para lutar ao lado do rei. Ao todo são sete conjuntos de armaduras douradas, cinco armas básicas e trinta e cinco feitiços de combate.

grafycast

Graficamente o jogo não tem nenhuma surpresa. Lembra e muito os clássicos jogos da época dos 16 bits. Em 2D, o jogo é bastante colorido e apresenta uma boa diversidade de cenários e inimigos.

image (2)

O game ainda te dá a opção de escolher uma imagem mais retro, lembrando os gráficos das antigas máquinas de arcade.

desacast

Cast of the Godsends – Redux proporciona aquele tipo de desafio que a grande maioria dos novos jogadores não conhece. Primeiro por ser um jogo do estilo “esmaga botão” de correr e atirar e segundo por se tratar de um game que trás inimigos que aparecem na tela a toda hora durante todo o tempo. É um game bem difícil. Não é fácil ter que atirar em inimigos infinitos e ficar pulando em plataformas que insistem em desaparecer ao mesmo tempo. Os poderes dos deuses ajudam um pouco, mas nada é tão eficiente a ponto de impedir que apenas 3 hits inimigos te derrubem. E isso é uma coisa que acontece frequentemente quando o desafio é passar por hordas inimigas que atiram em várias direções em um ambiente cheio de armadilhas e com limite de tempo.

Leia Também:  Pega essa Análise: Rogue Company

Cast-Of-The-Seven-Godsends-Redux_20160721235948-1024x576

Não chega a ser um game cruel a ponto de te fazer desistir nas primeiras tentativas mas é suficientemente difícil para quem não tem tanta paciência para suportar tantos fracassos até conseguir encontrar o “poder certo” ou a “melhor arma” para vencer.

verecast

Recomendo muito para quem procura um game de plataforma “das antigas”. Por tudo que já foi colocado, seu estilo gráfico, sua jogabilidade e por ser um jogo excessivamente desafiador. Em um mundo onde games desse estilo são escassos, Cast of the Godsends – Redux, com sua pitada nostálgica, nos faz relembrar como era bom passar horas na frente da TV de tubo ao lado dos amigos,  tentando “zerar” aquele jogo difícil. 

cotsg02

Já para os acostumados com games mais sofisticados recomendo experimentar com calma. Afinal de contas, pelo seu desafio, esse não é um game que vai agradar a todos os gostos.

Ficou curioso e quer tentar o desafio? Clica aí em baixo e ajude o rei a salvar seu herdeiro.

Cast of the Seven Godsends – Redux

REVER GERAL
Jogabilidade
Gráficos
Desafio
Diversão
Natural de Juiz De Fora, MG. Apaixonado por games e tecnologia escrevo e sou a voz da Central Xbox de 2015 pra cá. Me adiciona na Xbox Live: mendesjf86